Concurso para 10 mil vagas em Mato Grosso será realizado em 2010


As provas do concurso público para 10.086 vagas no governo de Mato Grosso serão aplicadas no dia 31 de janeiro e 21 de fevereiro. Como houve 274 mil inscrições, em cada data metade dos candidatos fará a prova.

O governo de Mato Grosso decidiu cancelar o concurso público "por problemas de logística" na prova aplicada no domingo (22).

Segundo Taisir karim, reitor da organizadora do concurso, a Unemat, trabalharam no concurso 15 mil fiscais e coordenadores, mas muitos deles decidiram participar do concurso e por isso tiveram de ser substituídos e houve dificuldades para concluir a preparação necessária dos integrantes da nova equipe.


Segundo ele, no próximo concurso a equipe será reduzida e haverá participação de servidores públicos. O custo total do concurso deve ficar em torno de R$ 10 milhões, de acordo com Karim.

O Ministério Público abriu procedimento para investigar a suspeita de fraude no concurso. O promotor de Justiça Samuel Frungilo diz que até semana que vem terá o relatório parcial do que foi apurado na perícia. Segundo ele, o prazo é de 90 dias para concluir as investigações, mas ele acredita que concluirá em prazo menor.

Entre as irregularidades reconhecidas pela própria administração na prova aplicada no domingo estão falta de salas para aplicação dos exames e provas que chegaram atrasadas. Houve ainda localidades que nem receberam os exames. Além disso, provas que deveriam ser entregues no período da tarde foram entregues aos candidatos pela manhã. A prova na parte da tarde não foi aplicada.

Os problemas foram registrados principalmente em Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis.



O governador Blairo Maggi informou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (25), que os candidatos que não quiserem mais prestar o concurso público serão ressarcidos do valor da taxa de inscrição, o pedido pode ser feito na sede da Secretaria de Administração, a partir da próxima semana.

“Houve erro de condução, organização a partir do momento da distribuição das provas. Foi uma sequência de pequenos erros, foram pequenos sinais, que nós, governo, não soubemos ler antes como por exemplo a incapacidade dos fiscais”, disse Maggi.

O delegado fazendário Massao Ohara, que também participou da entrevista coletiva, explicou que em torno de 40 boletins de ocorrência foram encaminhados a ele. “Fizemos a análise de todos e não foi constatado nenhum tipo de fraude. O que foi constatado foi a falta de logística, a falta de treinamento e informação dos fiscais. Não há nenhum indício de fraude nesse concurso público”, completou.

Dia da prova

O secretário de Estado de Administração, Geraldo de Vitto Jr., disse que não seria possível dar continuidade às provas no período da tarde depois dos problemas pela manhã, como entrega de provas em locais e horários trocados e demora na entrega dos exames. “Os problemas que nós tivemos foram de logística quanto à distribuição das provas. Não houve fraude em momento algum. Tivemos provas entregues de forma errada, talvez por falta de orientação dos fiscais, mas não houve fraude”.


O reitor da Unemat, Taisir Karim, disse que todos os malotes de provas estavam lacrados e que foram acompanhados pela Polícia Militar e Polícia Judiciária Civil até o local das provas. “Não tivemos problemas de lacres rompidos fora dos locais das provas. Podemos garantir 100% de que não houve vazamento de prova de forma alguma. Denúncias nesse sentido sempre vão ocorrer como em qualquer outro concurso, mas é preciso que apresentem provas. Com provas iremos agir”, disse o reitor.


A decisão de cancelamento das provas foi tomada após reunião entre integrantes da Secretaria de Estado de Administração, Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Polícia Judiciária Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Fazendária. O cancelamento foi autorizado pelo governador Blairo Maggi.
“Queremos deixar claro que o concurso foi suspenso, e não cancelado”, disse De Vitto Jr.


As Delegacias Regionais de Polícia Civil de Várzea Grande e de Cuiabá receberam vários candidatos que foram registrar boletins de ocorrência com denúncias de irregularidades.

No domingo, o secretário de estado de Administração, Geraldo Devitto Júnior, chegou a dizer que os problemas eram pontuais, apenas em alguns locais, e que as provas do período da tarde e o concurso público estariam mantidos, mas algumas horas depois decidiu cancelar o exame.

Confusão

Candidatos que estavam lotados em outros locais foram transferidos para a Unirondon, em Cuiabá, na terça-feira (17). Segundo os candidatos, muitos deles chegaram ao local e não encontraram a sala para fazer a prova. Outros foram ao local, mas as provas não chegaram.

Houve confusão, início de tumulto e a polícia teve de ser chamada. Provas foram recolhidas e todos os candidatos deixaram o prédio. Um grande número de policiais foram ao local. De acordo com candidatos, houve início de quebradeira.

Janelas e cadeiras teriam sido quebradas. Houve muita confusão também na Unic (Universidade de Cuiabá) e na UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso) devido à falta de salas.


Em Várzea Grande, na Escola Sarita Baracat, até as 11h30 as provas não haviam chegado. Em outros casos, as provas para alguns cargos têm o conteúdo diferente do que estava em edital.

O concurso estava sendo realizado em 422 instituições escolares distribuídas em 12 municípios de Mato Grosso.

Vagas

São seis editais que reúnem vagas para cargos de nível fundamental, médio e superior. Os salários vão de R$ 465 a R$ 10.013.

Ao todo são 17 cargos para nível superior totalizando 4.386 vagas, 15 cargos para nível médio com 3.700 vagas, e 1 cargo de nível fundamental, com 2 mil vagas no total.


O concurso público é considerado o maior da história de Mato Grosso. Ao todo, serão atendidos 19 órgãos: Auditoria Geral do Estado, Casa Civil, Instituto de Defesa Agropecuária, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar, Secretaria de Justiça e Segurança Pública, Polícia Judiciária Civil, Instituto de Terras de Mato Grosso, Secretarias de Meio Ambiente, de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social, de Infraestrutura, de Comunicação, de Administração, de Planejamento, de Turismo, de Cultura, de Esporte e Lazer, de Desenvolvimento Rural, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Junta Comercial e Procon.

Na Polícia Civil são 260 vagas para delegado, escrivão e investigador. Outras 1.000 vagas são para Polícia Militar e 60 para o Corpo de Bombeiros. Outras 5,5 mil vagas são para a área de educação - professor da educação básica (3 mil), técnico administrativo educacional (500) e apoio administrativo educacional (2 mil).

Há vagas ainda para técnico, assistente e agente do sistema prisional; técnico, assistente e agente orientador do sistema socioeducativo; técnico e agente da área instrumental do governo; técnico e agente de desenvolvimento econômico social; técnico e agente de serviço de trânsito; técnico e agente fundiário; fiscal, analista e agente de defesa agropecuária e florestal; conciliador e fiscal de defesa do consumidor; analista de meio ambiente, auditor do estado, gestor governamental, perito oficial criminal e técnico em necropsia.

As provas foram aplicadas na parte da manhã em Cuiabá, Várzea Grande, Água Boa, Alta Floresta, Barra do Garças, Diamantino, Juara, Juína, Rondonópolis, São Félix do Araguaia, Sinop, Sorriso, Tangará da Serra, Vila Rica, Cáceres e Nova Xavantina.

Confira abaixo o número de candidatos inscritos por cargo e o número de vagas:
Apoio Administrativo Educacional: 75.068 – 2 mil vagas
Agente de Serviço de Trânsito: 28.119 – 284 vagas
Técnico Administrativo Educacional: 25.499 – 500 vagas
Professor: 22.432 – 3 mil vagas
Agente Prisional: 18.080 – 859 vagas
Polícia Militar: 16.704 – 1 mil vagas
Agente de Desenvolvimento Econômico Social: 9.517 – 198 vagas
Delegado de Polícia: .7.713 – 60 vagas
Técnico da Área Instrumental: 6.756 – 320 vagas
Agente da Área Instrumental: 6.165 – 100 vagas
Assistente do Sistema Prisional: 5.474 – 161 vagas
Agente Orientador do Sistema Socioeducativo: 5.395 – 280 vagas
Técnico de Desenvolvimento Econômico Social: 4.378 – 183 vagas
Agente Fiscal de Defesa Agropecuária e Florestal II: 4.286 – 97 vagas
Gestor Governamental: 4.253 – 50 vagas
Assistente do Sistema Socioeducativo: 4.205 – 54 vagas
Fiscal de Defesa do Consumidor: 3.811 – 11 vagas
Técnico do Sistema Prisional: 3.779 – 124 vagas
Analista do Meio Ambiente: 3.105 – 100 vagas
Investigador de Polícia Civil: 2.793 – 60 vagas
Escrivão: 2.649 – 60 vagas
Perito Oficial Criminal: 2.169 – 60 vagas
Fiscal de Defesa Agropecuária e Florestal: 2.118 – 163 vagas
Agente Fiscal de Defesa Agropecuária e Florestal I: 1.958 – 47 vagas
Técnico em Necropsia: 1.832 – 20 vagas
Auditor: 1.438 – 15 vagas
Corpo de Bombeiros Militar: 1.346 – 60 vagas
Técnico do Sistema Socioeducativo: 984 – 66 vagas
Técnico de Serviço de Trânsito: 623 – 16 vagas
Conciliador de Defesa do Consumidor: 458 – 11 vagas
Analista Regulador: 398- 14 vagas
Agente Fundiário: 345 – 9 vagas
Técnico Fundiário: 126 – 18 vagas
Analista Administrativo de Defesa Agropecuária e Florestal: 65 – 6 vagas


http://g1.globo.com

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Troca de Links - Parceiros RSS Search Site no Esquillo Directorio Twingly BlogRank Teaching Blog Directory GoLedy.com Divulgue seu blog! Blogalaxia BRDTracker Directory of Education/Research Blogs Top Academics blogs Education and Training Blogs - BlogCatalog Blog Directory blog directory Blog Search: The Source for Blogs Submit Your Site To The Web's Top 50 Search Engines for Free! Sonic Run: Internet Search Engine Estou no Blog.com.pt
http://rpc.twingly.com/

  ©Trabalhos Feitos / Trabalhos Prontos - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo