Casos de Gripe A continuam a aumentar

Previna-se!

Conheça os sintomas. Saiba o que fazer e a quem pedir ajuda.
É inevitável. A Gripe A passou a fazer parte do dia-a-dia dos portugueses. Não são apenas os que viajam para o estrangeiro que estão sujeitos ao novo vírus. Em 11 de Junho de 2009, a Organização Mundial de Saúde elevou para 6 o nível de alerta de pandemia. Esta alteração da Fase 5 para Fase 6 não está relacionada com o aumento da gravidade clínica da doença, mas sim com o crescimento do número de casos de doença e com a sua dispersão a nível mundial.
Todos os Estados Membros da União Europeia têm planos de contingência nacionais. Matosinhos também se preparou para a Gripe A.
Desde 22 de Agosto que está a funcionar no SASU (Serviço de Atendimento de Situações de Urgência) de Matosinhos, num espaço próprio, o Serviço de Atendimento à Gripe (SAG).
Todos os Centros de Saúde têm estado a dar resposta aos seus utentes e aos utentes encaminhados pela Linha Saúde 24.
Desde o dia 22 de Agosto, cada Centro de Saúde passou a disponibilizar um Serviço de Atendimento à Gripe, com um circuito próprio.
Na entrada, existe um espaço informativo com os sintomas e recomendações. Caso os sintomas do utente correspondam, é-lhe dada uma máscara de protecção individual, para evitar a emissão de partículas para o exterior. É encaminhado para uma sala de espera equipada com máscaras de protecção individual, solução desinfectante e lenços de papel para doentes com suspeitas de gripe. Existe um gabinete de enfermagem e um gabinete médico, onde é feito o registo informático do atendimento.
O doente é observado e avaliado pelo profissional de saúde. O médico ou o enfermeiro utilizam uma máscara diferente, específica, que impede a entrada de partículas do exterior.
“Não queremos que os centros de saúde sejam locais de contágio. Temos aqui grupos de risco, como crianças e idosos que vêm normalmente às consultas”, explicou Luciana Monteiro, directora executiva do ACES da ULSM (Unidade Local de Saúde de Matosinhos) e vogal executiva do Conselho de Administração.
Luciana Monteiro recorda que “o vírus já está na comunidade”. Como tal, “só fazemos o diagnóstico de gripe e não de gripe A”. Os doentes que não fazem parte dos grupos de risco ou que não apresentem uma situação clínica grave são medicados, enviados para a casa e a família é avisada para tomar os devidos cuidados tal como acontece com a gripe sazonal ou gripe comum.
Os grupos de risco, como doentes crónicos, grávidas, crianças até um ano de idade, asmáticos, diabéticos, iniciam o tratamento com Tamiflu nos centros de saúde, mas poderão ser encaminhados ainda para o Serviço de Urgência do Hospital Pedro Hispano (HPH).
Os centros de saúde estão preparados também para fazer colheitas de pesquisa virológica. Depois de conhecido o resultado da análise, o doente é contactado para continuar o tratamento. Além dos doentes, o Tamiflu é administrado a familiares que pertençam a grupos de risco, não como tratamento, mas como profilaxia.
Neste momento estão a funcionar quatro SAG, ou seja, nos quatro Centros de Saúde da ULSM – Centro de Saúde de Matosinhos, Centro de Saúde de Leça da Palmeira, Centro de Saúde da Senhora da Hora, Centro de Saúde de S. Mamede de Infesta.
O circuito é semelhante nos quatro centros de saúde. As unidades da Porta do Sol, Lavra e Perafita estão igualmente preparadas para a Gripe A, com alas preparadas e o equipamento necessário. Os utentes de Santa Cruz do Bispo terão, em caso de suspeita, de se deslocar a Leça da Palmeira.
Relativamente ao horário, o Serviço de Atendimento à Gripe (SAG) disponível nos quatro centros de Saúde da ULSM funciona das 8h00 às 20h00. Fora deste horário, bem como ao fim-de-semana e feriados, os utentes devem ser orientados para o SASU, a funcionar no Centro de Saúde de Matosinhos.
Estão ainda a ser formadas equipas (médico, enfermeiro e administrativo) para responder ao trabalho suplementar que esta resposta poderá exigir.
O HPH passou a receber desde 25 de Agosto doentes da sua área de influência com suspeitas de gripe, oriundos dos centros de saúde orientados pela Linha Saúde 24. No HPH foi criada uma ala específica para internamento de doentes com gripe com capacidade para 12 camas (12 adultos) em isolamento.
No Serviço de Pediatria também foi criada uma zona de internamento e isolamento.
No Serviço de Urgência foi criada uma área específica para observação dos doentes com suspeita de gripe, e um circuito independente para estes casos.
Nos centros de saúde e no hospital foram acrescentados múltiplos locais de distribuição de solução alcoólica de esterilização, nomeadamente nas salas de espera, enfermarias, à porta de cada quarto e nas próprias camas dos doentes.
A capacidade do HPH “adapta-se conforme as necessidades”. “Procuramos que os serviços de saúde funcionem com normalidade”, acrescentou Luciana Monteiro, lembrando que também na gripe sazonal existem os habituais picos. À semelhança da gripe comum, espera-se uma maior afluência às urgências. No entanto, a deslocação à urgência hospitalar deve ser evitada. Para tal, os utentes deverão recorrer aos centros de saúde, unidades de saúde familiar e SASU.
“As pessoas devem utilizar o Serviço de Urgência de uma forma organizada e quando precisam, porque, caso contrário, estamos a sobrecarregar o serviço e a limitar a resposta criada para aqueles que realmente precisam”, conclui Luciana Monteiro.

Escolas preparadas para a Gripe A
No início desta semana, arrancou mais um ano lectivo nas escolas. Os Ministérios da Saúde e da Educação deram orientações para a elaboração de Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino.
A elaboração do Plano de Contingência é da responsabilidade de cada instituição escolar. As medidas necessárias, a sua calendarização, bem como as responsabilidades de cada pessoa dentro da instituição, devem ser ajustadas aos diferentes cenários de evolução da pandemia.
O encerramento da escola é uma medida que apenas deve ser adoptada se determinada pelo Delegado de Saúde, após avaliação epidemiológica da situação.
Perante um cenário de elevado absentismo dos professores ou outros profissionais, é fundamental planear a sua substituição de modo a minimizar o impacte desta situação nas actividades escolares. É de equacionar a possibilidade de utilização do teletrabalho. No que se refere aos alunos, poderão estar previstas actividades através de e-mail.
Uma das implicações do plano é a existência de uma sala para o eventual isolamento de alunos que evidenciem sinais de gripe, durante a permanência na escola, até que os pais sejam contactados. Esta sala deve ser utilizada apenas para este fim. A sala deve ter uma janela, com ventilação para o exterior, mantendo a porta fechada, bem como de dispositivo dispensador de solução anti-séptica de base alcoólica para desinfecção das mãos. Deve ser limpa e arejada após a sua utilização por eventuais crianças doentes.
Na semana passada, o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, escolheu duas escolas do concelho para verificar a forma como os estabelecimentos de ensino estão a lidar com a Gripe A, tendo em conta a abertura do novo Ano Escolar.
Acompanhado por Guilherme Pinto e pelos vereadores Correia Pinto e Luísa Salgueiro, o membro do Governo realizou uma visita aos vários espaços da instituição escolar, numa visita guiada pela directora da instituição, Maria Luísa Santos.
Valter Lemos teve a oportunidade de experimentar um dos doseadores colocados ao longo dos vários espaços do estabelecimento de ensino, bem como os toalhetes existentes nas salas de informática e da sala do isolamento.
Aproveitando a presença da representante da Associação de Pais, o secretário de Estado da Educação salientou o papel que os pais e encarregados de educação podem ter na prevenção da Gripe A, uma vez que “mandar os alunos para a escola pode implicar contaminação. A deslocação entre a casa e a escola pode ser perigosa”.
Já em declarações aos jornalistas, Valter Lemos salientou o facto das escolas de todo o País estarem preparadas com planos de contingência, chamando a atenção para as questões da higiene. “Não podemos esquecer igualmente dos procedimentos e das rotinas que todos devem ter em conta”.
No entender do secretário de Estado da Educação, as escolas nacionais fizeram um trabalho de casa “bem feito”, dando assim continuidade às orientações do próprio Ministério da Saúde.
Valter Lemos prosseguiu as visitas com uma deslocação à Escola Secundária da Senhora da Hora, onde igualmente tomou conhecimento com a forma como este estabelecimento de ensino está a lidar com a Gripe A.

Plano de Contingência
À semelhança de outras escolas de Portugal, o agrupamento da Senhora da Hora tem o seu plano contingência. Este tem por base as orientações da Direcção-Geral de Saúde e é coordenada pela directora da instituição, Maria Luísa Santos.
Do ponto de vista prático, as escolas daquele agrupamento irão realizar sessões de esclarecimento para o pessoal docente, não docente, pais e encarregados de educação, alunos, bem como a afixação de cartazes, distribuição de desdobráveis e a realização de um simulacro na primeira semana de aulas.
O agrupamento colocou ainda doseadores em vários espaços estratégicos e a toalhetes e lenços de papel em vários espaços escolares, nomeadamente junto à secretaria, nas casas de banho, bem como a implementação de rotinas de lavagem das mãos aos alunos e professores.
No caso concreto das aulas de Educação Física, os responsáveis pela instituição senhorense consideram ser necessário suspender o uso de colchões, a obrigação de uso de equipamento desportivo adequado, de lavar as mãos antes da aulas, o guardar em cacifos os objectos de adorno, entre outros.

O que é o H1N1
O novo vírus da Gripe A é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Contém genes das variantes humana, aviária e suína do vírus da gripe e apresenta uma combinação nunca antes observada em todo o Mundo. Em contraste com o vírus típico da gripe suína, este novo vírus da Gripe A é transmissível entre os seres humanos.
A Gripe A transmite-se pelo ar, através de gotículas de saliva, sobretudo através da tosse e dos espirros, mas também pelo contacto das mãos com objectos e/ou superfícies contaminados.
Estudos demonstram que o vírus da gripe pode sobreviver durante várias horas nas superfícies. Como tal, é importante mantê-las limpas, utilizando os produtos domésticos habituais de limpeza e desinfecção.

Sintomas
Os sintomas de infecção pelo novo vírus da Gripe A são normalmente semelhantes aos provocados pela gripe sazonal: febre, sintomas respiratórios (tosse, nariz entupido), dor de garganta, dores corporais ou musculares, dor de cabeça, arrepios e fadiga.
Existem outros sintomas que, embora não sendo típicos na gripe sazonal, têm sido detectados em alguns casos, como a diarreia e vómitos.

Período de incubação
O tempo que decorre entre o momento em que uma pessoa é infectada e o aparecimento dos primeiros sintomas, pode variar entre um e sete dias.
Os doentes podem contagiar outras pessoas por um período até sete dias (período de transmissibilidade). Todavia, o contágio pode verificar-se durante todo o tempo em que o infectado manifestar sintomas.
Cuidados a ter
Evite o contacto próximo com pessoas que apresentem sintomas de gripe. Cubra a boca e o nariz quando espirrar ou tossir, usando um lenço de papel. Nunca as mãos. Utilize os lenços de papel uma única vez, deitando-os no lixo.
Lave frequentemente as mãos, com água e sabão, pelo menos durante 20 segundos, para reduzir a probabilidade de transmissão da infecção.
Quando tal não for possível, podem ser usados toalhetes descartáveis, soluções e gel de base alcoólica, que se adquirem nas farmácias e nos supermercados. Se utilizar um gel, esfregue as mãos até secarem e não use água.
Evite tocar nos olhos, nariz e boca sem ter lavado as mãos. Limpe as superfícies que estão sujeitas a contacto manual, como as maçanetas das portas, os corrimãos, os telefones ou os computadores, com um produto de limpeza.

O que fazer
Se manifestar sintomas de gripe deverá permanecer em casa, ligar para a Linha Saúde 24- 808 24 24 24- e seguir as instruções que lhe forem dadas.
As pessoas que venham de áreas afectadas ou que tenham tido contacto próximo com alguém com gripe, se apresentarem sintomas nos sete dias seguintes, deverão ligar para a Linha Saúde 24. Não se dirija directamente ao hospital nem ao seu centro de saúde.

Tratamento
O vírus H1N1 é sensível aos medicamentos anti virais oseltamivir e zanamivir. Estes medicamentos só são verdadeiramente eficazes se administrados nas primeiras 48h de doença. Apenas nos casos mais graves se justifica usar estes medicamentos passados os primeiros dois dias de doença. Contudo, a maioria dos infectados pode tratar a gripe com medicamentos que apenas aliviem os sintomas.
Convém esclarecer que não há evidência científica, até ao momento, de que a vacina contra a gripe sazonal confira protecção contra a Gripe A.
A vacina contra o vírus deverá chegar a Portugal dentro de dias. Estão previstas apenas três milhões de doses da vacina.
Os grupos prioritários, isto é, as pessoas que devem ser vacinadas primeiro num contexto em que as vacinas são em quantidade limitada, são: doentes crónicos com mais de seis meses de idade (por exemplo, asma, doença cardíaca coronária instável, insuficiência cardíaca não compensada), devendo a iniciativa partir do médico assistente; grávidas; profissionais de saúde.


Serviço de Atendimento à Gripe:

Centro de Saúde de Matosinhos
Rua Alfredo Cunha, 365 – 4450-021 Matosinhos
Telefone 22 091 46 00

Centro de Saúde
de Leça da Palmeira
Rua Alberto Laura Moreira Júnior, nº 63 – 4450
Telefone 229 98 00 00

Centro de Saúde
da Senhora da Hora
Rua da Lagoa – 4460 000 Senhora da Hora
Telefone 22 956 85 00

Centro de Saúde
de São Mamede de Infesta
Rua Godinho Faria, nº 73 - Telefone 22 901 54 00

Hospital Pedro Hispano
Rua Dr. Eduardo Torres – 4454-509
Geral 22 93910 00 Serviço de Urgência – 22 939 15 45
O Serviço de Atendimento a Situações de Urgência (SASU) funciona no Centro de Saúde de Matosinhos, e serve a população do concelho de Matosinhos, independentemente, do centro de saúde em que o utente esteja inscrito. Dias úteis: 20h00 – 24h00
Fim-de-semana e Feriados: 8H00 -24h00
O horário de atendimento termina às 23h45


www.matosinhoshoje.com

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Troca de Links - Parceiros RSS Search Site no Esquillo Directorio Twingly BlogRank Teaching Blog Directory GoLedy.com Divulgue seu blog! Blogalaxia BRDTracker Directory of Education/Research Blogs Top Academics blogs Education and Training Blogs - BlogCatalog Blog Directory blog directory Blog Search: The Source for Blogs Submit Your Site To The Web's Top 50 Search Engines for Free! Sonic Run: Internet Search Engine Estou no Blog.com.pt
http://rpc.twingly.com/

  ©Trabalhos Feitos / Trabalhos Prontos - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo