Poesias dispersas - SONETO [102]

(Pela inauguração do Asilo de Órfãos de Campinas)

Recolhei, recolhei essas coitadas,

Tristes crianças, desbotadas flores,

Que a morte despojou dos seus cultores

E pendem já das hastes maltratadas.

Trocai, trocai as fomes e os horrores,

Os desprezos e as ríspidas noitadas

Pelos afagos dos peitos protetores,

Ensinai-lhes a amar e a ser amadas.

E quando a obra que encetais agora

Avultar, prosperar, subir ao cume,

Tornada em sol esta ridente aurora,

Sentireis ao calor do grande lume

Tanta ventura, que, se fordes tristes,

Jubilareis da obra que cumpristes.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Troca de Links - Parceiros RSS Search Site no Esquillo Directorio Twingly BlogRank Teaching Blog Directory GoLedy.com Divulgue seu blog! Blogalaxia BRDTracker Directory of Education/Research Blogs Top Academics blogs Education and Training Blogs - BlogCatalog Blog Directory blog directory Blog Search: The Source for Blogs Submit Your Site To The Web's Top 50 Search Engines for Free! Sonic Run: Internet Search Engine Estou no Blog.com.pt
http://rpc.twingly.com/

  ©Trabalhos Feitos / Trabalhos Prontos - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo