Gazeta de Holanda - N.° 20

18 DE JUNHO DE 1887.

Voilà ce que l'on dit de moi

Dans la Gazette de Hollande.

Rosa de Malherbe, ó rosa

Velha como as botas velhas,

Que foste grata e cheirosa,

E ora desprezada engelhas;

Rosa de todos os vasos,

De todas as mãos humanas,

Trazida a todos os casos,

Com lírios e com bananas;

Rosa trivial e chocha,

Pior que as mal fabricadas,

Menos que rosa, uma trouxa

De folhas esfarrapadas,

Não por má, não que não prestes,

Não que não sejas ainda

A mesma rosa que deste

Vida e cor à estrofe linda,

Mas porque é nosso costume,

Se achamos um dito a jeito

Tirar-lhe todo o chorume

Até deixá-lo desfeito.

Às vezes, menos que um dito,

Uma locução somente,

Um verbo novo ou bonito,

Pelintra ou cousa decente...

Vagabundo é que não anda;

Terá tanto e tanto emprego

De salão ou de quitanda

Que nunca achará sossego;

Até que lá vem um dia,

Em que o infeliz surrado,

Gasto, podre, sem valia,

Ao lixo é abandonado.

Lá vou eu buscar-te, ó rosa

De Malherbe; é necessário

Fazer citação dengosa

Num caso extraordinário.

Não o caso pavoroso

Do sindicato, alta e baixa.

Negocio tão ponderoso

Que acabou quebrando a caixa.

Demais, ouço tais notícias,

Tantas cousas segredadas,

Que só pegando em milícias

Para rimar com pancadas.

Posto que essa rosa bela

Viveu, como as outras rosas,

Um dia, e sem mais aquela

Perdeu as folhas viçosas.

Não trato dessa, mas trato

Da rosa legislativa,

Nascida sem aparato,

Morta quando apenas viva.

Foi o senador Uchoa

Que lhe deu vida e nascença,

Pareceu-lhe a idéia boa,

Propô-la sem mais detença.

Em verdade, não contava

Ninguém com tal aditivo;

Foi como uma vaca brava

Ao pé de um par pensativo.

De mais a mais, sem discurso,

Modesto, calado e manso;

Mal comparando, era um urso

Metido em pernas de ganso.

Urso, embora parecesse

Ao golpe das mãos humanas,

Podia ser que vivesse

Uma, duas, três semanas.

Era vir, tambor à frente,

Polcando ao som de rabeca,

Lançando ao ar, como gente,

Foguete, bomba ou peteca.

Menos de um mês viveria;

Mas, surgindo assim calado,

Viveu apenas um dia,

Foi morto e foi sepultado.

Lá que mais tarde apareça

Em forma de idéia nova,

E que outrem se desvaneça

De o passar por outra prova,

De maneira que essa rosa,

Que foi rosa e que foi urso,

Ganso e vaca furiosa,

Passe a sol nalgum discurso,

Não me espantará. Comigo

Uma só cousa há que espante:

Se desta vez a não digo

É falta de consoante.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Troca de Links - Parceiros RSS Search Site no Esquillo Directorio Twingly BlogRank Teaching Blog Directory GoLedy.com Divulgue seu blog! Blogalaxia BRDTracker Directory of Education/Research Blogs Top Academics blogs Education and Training Blogs - BlogCatalog Blog Directory blog directory Blog Search: The Source for Blogs Submit Your Site To The Web's Top 50 Search Engines for Free! Sonic Run: Internet Search Engine Estou no Blog.com.pt
http://rpc.twingly.com/

  ©Trabalhos Feitos / Trabalhos Prontos - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo