Crônicas do Dr. Semana - NOVIDADES DA SEMANA - 1.º DE MA1O DE 1864

O Dr. Semana sai hoje fora do sério. Vai dar catanadas à direita e à esquerda, porque está de um mau humor desabrido.

Foi-se o sol e veio a chuva. Acabou-se a chuva e o preguiçoso do astro-rei mostra-nos apenas uma cara pálida e sombria, como de quem esteve a dormir por muito tempo e acordou contra vontade.

É verdade que, com sol ou chuva, os hábitos desta boa, leal e heróica cidade não se alteram.

Se o dia está calmoso os representantes da pátria não se reúnem na câmara para se reunirem no Carceller.

Se o dia está chuvoso, também não se reúnem, porque é mais gostoso ficar debaixo dos lençóis, do que se expor a apanhar alguma constipação.

E o pior é que lhes acho razão, conquanto o país e a grande imprensa entre já a queixar-se de tanto sueto e tanta cabula. Grita o Amazonas que quer abrir-se; grita o S. Francisco que não quer ficar fechado; grita a estrada de ferro D. Pedro II que está com sede e com vontade de beber água da Serra; grita o governo que quer créditos suplementares; grita o país que quer orçamentos, gritam todos enfim os que se julgam com direito a exigir do parlamento os serviços que lhes são devidos.

Só os taquígrafos e os oficiais da secretaria da câmara não gritam, e fazem muito bem, porque têm muita razão.

Para eles é indiferente que haja sol ou chuva. O que não lhes é indiferente é que não haja sessão. Títiros à sombra das suas faias, preferem tocar na rude avena a irem garatujar papel e aparar lápis.

Temos uma grande novidade a comunicar aos nossos leitores. Cristóvão Colombo, em carne e osso, com as suas caravelas de pau pintado, acaba de surgir em pleno teatro de S. Pedro, descobrindo o novo mundo e pondo um ovo em pé, com grande admiração e aplauso de todos os homens sensatos e ilustrados que não são pataus, e que por não pertencerem à confraria dos literatos medíocres, que se elogiam mutuamente, e nem à companhia do teatro de S. Pedro, de que é reformador e restaurador um homem extraordinário, que não é por ora conhecido, estão no caso de darem sobre esse drama monumental (onde aparecem 158 pessoas vivas!!) um juízo seguro e imparcial. Pois apesar de tudo isso, essa maravilha do século XIX ia passando despercebida se não fosse a agudeza de engenho do redator da Gazetilha, que tendo ido casualmente à platéia de S. Pedro, procurar o gato encantado do colar de pérolas, ficou embasbacado diante do prodígio e anunciou urbi et orbi o grande achado que fizera!

E foi uma fortuna. Porque este país não está preparado para tão grandes coisas. E com exceção de muito pouca gente de gosto que por aí existe, bem podem essas e outras maravilhas oferecerem-se à vista de todo o mundo que ninguém os aprecia.

Em compensação, anuncia-se no Ginásio uma coisa ruim, que eu não conheço, mas que, por força, há de ser muito vulgar e sensaborona, e sobretudo há de ter o defeito da casaca e da luva de pelica, e o de não mostrar em cena 158 homens, nem nenhum navio fazendo fogo ao vivo, mas para a qual desde já estão convidadas todas as pessoas de mau gosto do Rio de Janeiro. Essa coisa é nada menos que um novo drama do autor da História de uma moça rica, intitulado A punição.

Quem estiver disposto a deitar fora o valor de uma cadeira e perder algumas horas do bom sono, deixe de ir ver a descoberta do mundo novo pelo novo Colombo, e vá assistir à representação dessa maçada em poucos atos.

Soam os clarins da guerra no campo do funcionalismo. Diretores gerais e chefes de secção, primeiros e segundos oficiais, amanuenses e praticantes, porteiros e contínuos, tudo anda num fervet opus! Chovem os raios de Júpiter Tonante sobre as cabeças venerandas de todos os direitos adquiridos! O governo, que não é para graças, descarrega sucessivamente golpes tremendos sobre a hidra das sete cabeças e no meio de toda a lufa-lufa do temporal, sentem-se muitos ameaçados de um naufrágio completo nas praias inóspitas da miséria!

Este negócio é que é profundamente sério. A imaginação do Dr. Semana aterra-se diante do quadro lúgubre dessas decepções cruéis, e não tendo meio de oferecer alívio a tanta desgraça junta, toma o partido de fechar os olhos e de calar a boca.

Chiton!

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Troca de Links - Parceiros RSS Search Site no Esquillo Directorio Twingly BlogRank Teaching Blog Directory GoLedy.com Divulgue seu blog! Blogalaxia BRDTracker Directory of Education/Research Blogs Top Academics blogs Education and Training Blogs - BlogCatalog Blog Directory blog directory Blog Search: The Source for Blogs Submit Your Site To The Web's Top 50 Search Engines for Free! Sonic Run: Internet Search Engine Estou no Blog.com.pt
http://rpc.twingly.com/

  ©Trabalhos Feitos / Trabalhos Prontos - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo